Quer financiar um carro?

Receba já uma cotação com a melhor solução de crédito para você

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Seguinte

Você sabe escolher o carro certo para o seu perfil?

Saiba quais são as justificativas que os compradores mais utilizam na hora de comprar carro e os equívocos que podem levar a decisões e escolhas inadequadas.

Escolha com critério, e compre carro com mais segurança

Escolher o carro certo é uma questão de usar os critérios mais apropriados, observando principalmente as condições econômicas de que se dispõe em longo prazo. De maneira equivocada, há motoristas que escolhem que carro comprar com base em noções pouco aprofundadas sobre características que podem não ser tão atraentes assim.

Para desmistificar algumas verdades que pareciam até agora inquestionáveis, listamos os principais argumentos usados para justificar a compra de um carro e que não são exatamente o que parecem. Afinal, a compra do carro certo tem mais a ver com o perfil de quem compra do que com generalismos que mais atrapalham do que ajudam a decidir pelo melhor.

A cor do carro não precisa ser somente branco, preto ou cinza chumbo

Não é difícil perceber nas ruas a predominância de carros nas cores preta, cinza, prateada ou branca. Afinal, você pretende comprar carro para você ou para o próximo dono? Escolher a cor que mais agrada não é apenas questão de personalidade, mas de bom senso, afinal carros pretos podem arranhar com mais facilidade e apresentar mais resistência para fazer polimento. Carros prateados, se necessitarem de lanternagem e pintura, são os mais difíceis de uniformizar o tom.

Os reis da economia só podem ser os carros 1.0

Não é bem assim que funciona, afinal, para que o carro seja efetivamente econômico, é preciso que ele trafegue em condições minimamente ideais. Se no seu caso o dia a dia é repleto de cargas e descargas de volumes ou sua forma de dirigir é um convite ao consumo de combustível, talvez um carro 1.0 não vá solucionar de vez seus problemas.

E se durante a maior parte do tempo você dirige em rodovias ou mesmo vias expressas, talvez um carro de motor entre 1.3 e 1.6 atenda melhor suas necessidades, por apresentarem maior rendimento, demandando menos aceleração e portanto menor consumo.

Potência é fundamental

Tudo bem que os carros mais potentes são ótimos para quem busca maior poder de aceleração. No entanto, se o uso do carro será predominantemente urbano, esse é um critério que deve ser reavaliado. Existem motores menores, mas que oferecem bom torque, ou seja, não perdem tanto na potência e são mais adequados para trafegar nas cidades.

Leia também: Como conseguir aprovação de financiamento de veículos

Se é grande, a mala também é

Depende, pois existem SUVs cujas malas fazem feio até mesmo perante carros subcompactos. Geralmente, os esportivos utilitários têm malas menores que as dos sedans, portanto, é preciso abandonar essa relação direta entre tamanho da carro e da mala.

Gastar com seguro? Só o mínimo necessário

Outro fator bastante relativo é o preço do seguro. Há quem decida por um carro popular só porque, em tese, seu seguro custaria menos. Não é por aí, uma vez que na cotação do valor do seguro entram variáveis que podem tornar o preço final até mais caro do que o seguro de um carro de maior porte, tais como índices de roubos no trajeto a ser percorrido, idade e onde o segurado reside.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!