Calendário de impostos brasileiros 2016

Com uma agenda tributária atribulada, muitos contribuintes perdem prazos e arcam com multas e juros. Baixe o calendário de impostos 2016 para ficar em dia.

Calendário de impostos brasileiros 2016
Saiba quais são os prazos e obrigações tributárias do contribuinte este ano

Todo ano, cidadãos estão atentos a diversos calendários, como o escolar - para aqueles que têm filhos -, e principalmente ao calendário de feriados para planejar descansos e viagens; no entanto, alguns se esquecem do talvez mais importante de todos: o calendário de impostos.

Todos os anos, milhares de brasileiros ficam com algum débito fiscal pendente, correndo para quitar seus impostos sempre no último minuto. Além de toda a correria, caso o contribuinte acabe se esquecendo das datas presentes no calendário de impostos, e assim deixando de quitar alguma contribuição, ele pode acabar encontrando uma série de consequências muito além de juros e multas; um IPVA não pago pode acarretar na perda de pontos da CNH, por exemplo.

Quando eu devo pagar cada imposto brasileiro

As contribuições pagas pelo brasileiro são muito variáveis e dependem de uma série de fatores, como o período de contabilização (fato gerador). Assim, visando facilitar essa orientação, veja a seguir o calendário de impostos cujo os prazos para quitação devem ocorrer ainda neste mês de Julho.

Prazo de Vencimento: 5 de Julho

Os impostos que precisam ser recolhidos até essa data limite são aqueles referentes ao CPSS (Contribuição para o Plano de Seguridade Social do Servidor), IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte) e IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). O período do fato gerador tem referência de 21 a 30 de junho de 2016.

Prazo de Vencimento: 7 de Julho

Os recolhimentos que devem ser feitos até essa data são referentes ao Simples Doméstico e tem como período do fato gerador o mês de junho de 2016.

O que acontece se você sonegar impostos

Prazo de Vencimento: 8 de Julho

Novamente, devem ser recolhidos valores referentes ao IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte), porém desta vez são sobre outros rendimentos, como juros de empréstimos externos e tem como período do fato gerador o mês de junho de 2016.

Prazo de Vencimento: 13 de Julho

Os impostos que precisam ser recolhidos até essa data limite são aqueles referentes ao IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte) e IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). O período do fato gerador tem referência de 1 a 10 de julho de 2016, e junho de 2016 para alguns recolhimentos de IOF.

Prazo de Vencimento: 15 de Julho

Até essa data devem ser quitadas as contribuições sobre o CIDE (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) com período do fato gerador em junho de 2016 e CPSS, com período do fato gerador de 1 a 10 de julho de 2016. Para o período do fato gerador de 1 a 30 de junho incidem recolhimento mensal de NIT, PIS e Pasep; para quem optar pelo recolhimento trimestral, o período do fato gerador é de 1º abril a 30 de junho.

Prazo de Vencimento: 20 de Julho

Os recolhimentos como PIS e Pasep (Retenção), COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social), CSLL, IRRF e Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta, tem como fato gerador junho de 2016.

Prazo de Vencimento: 25 de Julho

Os recolhimentos que devem ser feitos até essa data são referentes ao CPSS, IRRF e IOF com fato gerador de 11 a 20 de julho de 2016, IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) com fato gerador de junho de 2016.

Prazo de Vencimento: 29 de Julho

Entre os últimos recolhimentos do mês estão IRRF, IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) e IOF com fato gerador de junho de 2016.

Não perca prazos! Para obter informações sobre os meses anteriores e mais detalhes sobre os próximos meses, basta acessar o site da Receita Federam no menu Agenda Tributária e então consultar as datas de vencimento ou fazer o download do calendário de impostos.

Impostos para pagar antes do prazo e ter desconto

Aos que estão sempre atentos ao calendário de impostos sabem que em alguns casos é possível realizar o pagamento em parcela única e/ou de forma adiantada, proporcionando descontos significativos nos valores.

É o caso do IPTU e do IPVA, por exemplo, os quais podem ter descontos normalmente variáveis entre 5% e 8% do valor total. Para isso, é preciso estar atento aos prazos e condições oferecidas de cada um deles.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Heloísa von Ah Heloísa von Ah

Formada em Comunicação em Computação Gráfica e Design de Games, é apaixonada pela profissão que exerce. Uma aficionada por tecnologia, gatos e cinema underground.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar