Como é o café da manhã em diferentes partes do país

Um dia mais produtivo começa com um café da manhã à altura, não importa em que região brasileira

Como é o café da manhã em diferentes partes do país
A diversidade pelo Brasil espelhada no café da manhã

Um dos traços mais reveladores da cultura de uma região é como ela desenvolve e preserva sua culinária. O café da manhã, consagrado por nutricionistas e médicos como a refeição mais importante do dia, é certamente aquela em que as diversas culinárias locais se manifestam de forma mais clara, justamente pela sua simplicidade.

O chef de cozinha Everton Muniz é um defensor da gastronomia brasileira e entende que no café da manhã os ingredientes nacionais brilham com mais intensidade “a mandioca, por exemplo, é muito presente na mesa dos nordestinos ao longo do dia, e no café não é diferente. Já no Sul e Sudeste, os diversos pães são o carro chefe”.

Café da manhã do Oiapoque ao Chuí

Há ingredientes marcantes no café da manhã do brasileiro, mas nenhum deles é tão presente quanto a mandioca, também conhecida como aipim ou macaxeira, dependendo da região. Tal presença foi digna até de registro pelo historiador Câmara Cascudo, que a apelidou de “Rainha do Brasil” .

Evidentemente, a mandioca cede espaço para outras iguarias matinais sem problemas de norte a sul. No Rio de Janeiro, onde o pão francês é o alimento mais consumido no café da manhã, não pode faltar à mesa o tradicional mate. A diferença do mate carioca para outras regiões brasileiras é a adição de açúcar no seu preparo. Gaúchos apreciam o mate amargo, mais natural, assim como os mato grossenses, que o chamam de tererê (e o bebem gelado), e têm na bebida, tal como cariocas e sulistas, um complemento indispensável no seu café da manhã.

Pão de queijo, pão na chapa e pupunha, atrações no Sudeste e Norte

Se para os mineiros num café da manhã não pode faltar o inconfundível pão de queijo, em São Paulo, grande epicentro econômico brasileiro, o pão na chapa com média é o alimento preferido pela manhã pela agilidade no preparo. Em ambas as regiões, as frutas podem estar presentes ou não, e a pupunha, quase desconhecida por mineiros e paulistas, é quase onipresente na mesa dos habitantes da região Norte. Situação análoga à do tucum, fruto das palmeiras que germinam em território paranaense muito utilizado para produzir sucos que adoçam o café da manhã no Paraná.

Por falar em adoçar, em Pernambuco não se inicia o dia sem saborear o sempre adocicado bolo de rolo, uma exclusividade local de dar água na boca. Pernambucanos também fazem questão da tapioca e do queijo coalho, dois alimentos quase obrigatórios no café da manhã dos nordestinos.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar