8 brincadeiras antigas que as crianças de hoje não conhecem

Selecionamos 8 brincadeiras antigas e 4 tecnologias antigas a fim de relembrar e inspirar pais e filhos a realizarem mais atividades ao ar livre.

8 brincadeiras antigas que as crianças de hoje não conhecem
Brincadeiras ao ar livre, sem pressa e cheias de imaginação

Com o passar do tempo e o surgimento constante de novas tecnologias muitas brincadeiras antigas foram deixadas de lado ou ate mesmo esquecidas. Se tratam de tradições que devem ser passadas de pai pra filho e que, além de proporcionar interação social e fugir um pouco dos viciantes games e internet, as atividades ajudam no desenvolvimento emocional, psicológico (de raciocínio, memoria) e motor das crianças.

Selecionamos portanto, 8 saudosos exemplos (e sugestões) de brincadeiras antigas, divertidas e instrutivas para repassar aos pequenos.

Brincadeiras antigas para relembrar

Se as brincadeiras antigas tinham algo em comum era o fato de serem, na maioria das vezes, praticadas ao ar livre. Sem internet ou outras distrações que prendessem as criancas dentro de casa às crianças se reuniam na rua, parques ou escolas e soltavam - e ainda soltam, afinal muitas dessas brincadeiras são até hoje executadas - a imaginação.

1. Batatinha frita: Uma criança, de costas para o restante do grupo diz “Batatinha frita um, dois, três!”. Enquanto ela fala o grupo pode se mexer em direção a ela, mas não podem se mexer qnd a pessoa que falou virar, pois se ela vir se movimentando estará fora da brincadeira. Ganha quem conseguir tocar as costas do amigo primeiro.

2. Pular corda: Das mais clássicas brincadeiras antigas. Aos mais habilidosos é inserido o desafio de pular enquanto se repete o que pede a música: “Um homem bateu em minha porta e eu abri. Senhoras e senhores ponham a mão no chão. Senhoras e senhores pulem num pé só. Senhoras e senhores deem uma rodadinha e vá pro olho da rua" - quando a criança deve ser na corda sem deixar que encoste nela.

3. Bambolê: Trata-se de um aro de plástico que deve ser girado na cintura - movimentando o quadril - nos pulsos ou pescoço. Um entretenimento pra crianças e adultos que ajuda muito na coordenação motora.

4. Amarelinha: Um exercício e equilíbrio, atenção e coordenação motora. É desenhada uma sequência de quadrados no chão, com um giz de cera ou carvão. Os quadrados são numerados e o “céu”, desenhado ao final é o objetivo do jogo no qual se deve pular as casas desenhadas com uma perna só.

5. Cinco Marias: Uma brincadeira antiga do tempo dos avós, a ideia aqui é ter cinco pedrinhas e jogar uma pra cima enquanto pega outra no chão antes que a primeira pedra lançada caia de volta na mão. Ganha quem pegar primeiro as cinco marias (ou pedrinhas) nas mãos.

6. Cirandas: Enquanto fazem um círculo de pessoas são propostas brincadeiras cantadas. Além de ser a atividade que entrega várias crianças, o que por si só já é bastante positivo, ela desenvolve também a musicalidade, a criatividade, raciocínio e memória da criança.

7. Esconde-esconde: Felizmente uma brincadeira antiga que ainda se vê praticada hoje em dia, o esconde-esconde consiste em uma criança de costas para as demais realizar uma contagem enquanto os outros se escondem. Enquanto a criança que fez a contagem deve encontrar cada colega e dizer seu nome em voz alta, os demais tentam não ser descobertos e chegar ao local da contagem antes que a outra criança o veja.

8. Passa anel: As crianças formam um círculo e juntam as mãos em formato de conha. Uma das crianças está ão centro com o anel (que não precisa necessariamente ser um anel) finge passa-lo pra cada uma das outras crianças e ao fim o desafio é descobrir com quem realmente ficou o anel.

Tecnologias antigas

Além das brincadeiras tradicionais houveram ainda muitas tecnologias que com o tempo foram deixadas de lado, perdendo a fama ou mesmo sendo substituídas por exemplares mais modernos e adequados as necessidades das pessoas. Selecionamos a seguir alguns exemplos para matar a saudade.

Walkman: Em resumo se tratava de um reprodutor portátil de músicas, e claro que muitos irão rapidamente associar a mp3 players em geral, e é isso mesmo, só que a mídia no caso era fita cassete. Posteriormente foram lançados ainda os Discmans que seguiam a mesma lógica porém com uso de CDs no lugar das fitas.

Mini Game: Os vídeo games portáteis foram um verdadeiro sucesso entre crianças e jovens que curtiam a diversidade de jogos em um único aparelho. Numa época em que ainda não haviam aparelhos celulares, eram os mini games que tomavam horas e horas de atenção dos usuários.

Vídeo Cassete: Assistir filme em casa há alguns anos atrás era sinônimo de fitas cassete que podiam ser lidas no aparelho chamado vídeo cassete. Com o tempo e o surgimento de CDs, DVDs e internet o aparelho foi perdendo espaço.

Tamagotchi: Também conhecido como "bichinho virtual" o brinquedo foi uma verdadeira febre nos anos 90. Um aparelho virtual onde existe um bichinho que deve ser cuidado como se fosse real, com comida, banho e outros cuidados.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Tabata Franco Tabata Franco

Paulistana, formada em Comunicação e Multimeios e em Produção de Áudio e Vídeo. Transita por produções e projetos nas áreas de cinema/vídeo, fotografia, redação e artes em geral. Comunicativa, ama a palavra, se encanta pelas linguagens.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar