Como ir para a balada gastando pouco

Não precisa ficar em casa enquanto todos estão se divertindo. Está sem grana? Veja algumas dicas e alternativas para quem quer ir para a balada gastando pouco.

Como ir para a balada gastando pouco
Não precisa ficar em casa. Veja algumas dicas para economizar na noite.

Quem nunca deixou de ir para a balada porque sobrou pouco dinheiro e não vai poder consumir nada? Essa realidade é mais comum do que parece, mas certamente seus amigos não irão se opor quando propuser algumas dicas de economia.

Relaxe! Não precisa ficar de molho em casa só porque não pode gastar. Conheça algumas dicas valiosas para planejar, economizar e se divertir na noite.

Dicas para gastar pouco na balada

Já imaginou que os gastos todos os finais de semana com badala poderiam facilmente lhe render um viagem polpuda no fim do ano? Entretanto, se não quiser abrir mão da merecida diversão semanal, veja algumas dicas para sair, consumir e ainda gastar pouco com os amigos.

Esquenta

Pode chamar do que for e até olhar torto praquele grupinho encostado em um carro, munidos por copos e garrafas, mas o famoso “esquenta” é fundamental para quem ingere bebidas alcoólicas e não quer deixar um mês de salário em drinks na balada.

Em lugares onde existem porções, lanches e pratos, a regra é a mesma. Alimente-se de maneira equilibrada antes de sair de casa. Além de comer menos, as chances de passar mal e dar vexame caso exagere na bebida também são menores.

Entretanto, se não tem o hábito de beber e está apertado de grana, saia de casa já satisfeito e na balada troque as batidas e sucos por água – pode até ser com gás, pra dar um charme. Em todo o caso, aproveite que as baladas estão começando cada vez mais tarde para garantir o seu jantar e bebericar com os amigos tranquilamente.

Rachar um carro

Outro grande encarecedor de uma balada certamente é o transporte envolvido. Se a balada for na mesma cidade em que reside, ponto para a economia, mas caso contrário, custos com pedágio e gasolina vão pesar no bolso. Isso sem contar, em ambos os casos, que ainda temos o agravante dos inflacionados estacionamentos das casas noturnas.

A proposta nesse caso é bastante clara. Se estiverem em um grupo de amigos, elejam um motorista da rodada e dividam um carro; mas se todos os envolvidos bebem, troquem o carro pela divisão de um táxi. Os custos podem ser divididos entre quatro, ou até cinco pessoas, onde os envolvidos ainda se divertem nos caminhos de ida e volta.

De olho nos contatos

Por último, mas definitivamente não menos importante, quem é baladeiro e precisa economizar tem que ficar atento a alguns detalhes desse hábito noturno. Afinal, alguns municípios brasileiros simplesmente passaram a proibir a consumação mínima em bares e casas noturnas, levando estabelecimentos a cobrarem – ou aumentarem – a taxa de entrada. Por isso, dê preferência aos poucos locais que ainda não praticam essa cobrança prévia.

Em alternativa, se não abre mão da boate mais badalada, programe-se com antecedência e reveja os seus contatos para descolar aquela entrada VIP ou ao menos um desconto. Acesse o site no local, fique atento às promoções nas redes sociais e fique por dentro das ofertas; não é vergonha alguma fazer uso dessas facilidades para se divertir.

De todo modo, faça também contato com as pessoas que podem te auxiliar a conseguir acesso livre na balada, como um amigo da hostess, o garçom e demais funcionários da casa. Lembre-se, quem tem bons contatos, não gasta muito na noite.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Heloísa von Ah Heloísa von Ah

Formada em Comunicação em Computação Gráfica e Design de Games, é apaixonada pela profissão que exerce. Uma aficionada por tecnologia, gatos e cinema underground.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar