As capitais brasileiras mais baratas para criar os filhos

Entre quesitos como renda, saneamento, educação, saúde e segurança, veja quais são as melhores capitais brasileiras para se ter e criar os filhos.

As capitais brasileiras mais baratas para criar os filhos
Veja o resultado da pesquisa que avaliou desigualdade social, educação, saúde e outros fatores

Em estudo levantado e disponibilizado com exclusividade à revista Exame, a Delta Economics e Finance realizou um ranking contendo as 100 melhores e piores cidades do país para ter e criar seus filhos, levando em consideração uma série de fatores que visam promover as melhores condições para os pequenos. Entretanto, tais variáveis não necessariamente significam que o local tenha acessibilidade para que famílias com menores condições possam arcar com o custo de vida.

As capitais mais baratas para se criar um filho

Entre as 48 variáveis abrangidas pela pesquisa estão envolvidas a qualidade do ensino, a infraestrutura do sistema de saúde, o custo de vida local, renda per capita, desigualdade social, níveis de analfabetismo, incentivo à programas de proteção à mulher, índices de segurança pública, condições de saneamento básico, entre outras.

Ainda que os custos tenham ficado de fora, selecionamos algumas das capitais citadas pelo ranking e divulgamos, de acordo com os dados obtidos no portal Custo de Vida, os valores referentes à mensalidades, transporte e alimentação básica nos locais que se mostraram mais acessíveis entre as grandes cidades; veja o resultado.

Macapá – Amapá

Com mensalidades beirando os R$ 225 para pré-escolas e R$ 250 para o Ensino Fundamental, colocar os filhos em escola particular vivendo em Macapá pode ser uma tarefa bastante simples. Além do baixo custo com os estudos, uma refeição em restaurante padrão na capital sai em torno de R$ 11 e o acesso aos transportes públicos é fornecido após pagamento da tarifa de R$ 2,10.

Entretanto, é importante frisar que, diante do levantamento sobre qualidade de vida e condições adequadas para a criação de um filho realizada pela consultoria, a capital obteve o 88º entre 100 cidades participantes, totalizando 47,23% de condições viáveis para um bom aproveitamento das crianças.

João Pessoa - Paraíba

Eleita pela empresa de consultoria Delta Economics & Finance como a terceira melhor cidade para criar um filho dentre toda a região nordeste, João Pessoa reúne critérios propícios para uma boa criação e desenvolvimento dos pequenos.

Entre as capitais, João Pessoa também pontua entre as mais baratas, apresentando os menores valores relativos à mensalidade para os pequenos, onde é possível encontrar vaga em creches e pré-escolas particulares por R$ 250 e ensino fundamental por R$ 463. Relativamente à alimentação e transporte, almoçar em um restaurante popular tem custo de R$ 10 e, caso leve seus filhos à escola e demais localidades através do transporte público, este possui a tarifa de R$ 2,35.

Maceió - Alagoas

Também entre as opções de capitais mais baratas de se criar um filho, Maceió apresenta bons cursos quando trata-se de mensalidades em creches, pré-escolas e ensino básico, bem como alimentação e transporte. Com educação, os pais podem reservar a média de R$ 440 durante toda a infância e pré-adolescência dos pequenos. Com transporte público, há o custo de R$ 2,75 por tarifa e, havendo a necessidade de almoçar fora de casa, um prato padrão tem custo aproximado de R$ 11,50.

Sobre seu desempenho na qualidade e preparo para proporcionar um bom desenvolvimento às crianças, Maceió ficou em 97ª posição diante do ranking da Delta, apresentando uma porcentagem onde há 41,16% de metas cumpridas e chances de criá-los adequadamente.

Goiânia – Goiás

Diferentemente do padrão notado sobre as cidades onde o custo privado da educação é mais barato, Goiânia se destaca pela boa pontuação no ranking de oportunidades e suporte ao desenvolvimento. Na capital, além de uma nota máxima no quesito Governança, há um satisfatório sistema de saúde, bem como gestão da economia local e investimentos na educação. A porcentagem de metas cumpridas ficou em 66,78%, sendo este um excelente resultado.

Relativo aos custos, o resultado também satisfaz. Em mensalidades para o sistema de pré-escola, paga-se a média de R$ 362,50; já para o Ensino Fundamental, o valor passa para R$ 517,50. Para alimentação, alega-se que com R$ 13 é possível almoçar em um restaurante padrão e, por R$ 3,30, arca-se com a tarifa dos transportes públicos.

Fortaleza – Ceará

Ocupando a 72ª posição no ranking Delta, Fortaleza oferece 51,90% de possibilidades para um bom desenvolvimento da criança. No entanto, entre os pontos vantajosos que fazem da capital uma das mais baratas para criar filhos é o custo referente à educação privada, transporte e alimentação.

Em mensalidades, o estudo pré-escolar na capital tem custo de R$ 390, já o Ensino Fundamental sobe para R$ 570. Para chegar a escola, por R$ 2,75 já é possível transitar via ônibus e, com R$ 0,35 a menos, paga-se a tarifa do metrô. Com dado complementar a essa pesquisa, o custo de uma refeição fora de casa tem custo aproximado de R$ 9 em restaurante popular.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Heloísa von Ah Heloísa von Ah

Formada em Comunicação em Computação Gráfica e Design de Games, é apaixonada pela profissão que exerce. Uma aficionada por tecnologia, gatos e cinema underground.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar