Quer financiar um carro?

Receba já uma cotação com a melhor solução de crédito para você

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Seguinte

5 dicas para comprar um bom carro usado

Comprar um carro usado é um bom negócio para quem quer garantir um veículo mais completo por um orçamento reduzido. Entenda como escolher corretamente.

Saiba o que é preciso considerar para fazer um bom negócio na compra do carro usado

O CARRO QUE VOCÊ PROCURA
ESTÁ AQUI
pesquise já,
é rápido e grátis

Os carros usados podem ser um bom investimento para quem não possui dinheiro o suficiente para investir em um carro 0km ou faz a opção de um seminovo equipado ao invés de um carro “pelado” saindo da concessionária. Mas antes de comprar o seu usado, existem pontos para ficar atento e não fazer um mau negócio.

Por isso, a internet se tornou um importante aliado para as pessoas que desejam consultar, pesquisar preços e comparar carros usados, antes de efetuar a compra. Entretanto, é importante ficar atento a detalhes, e por isso o E-Konomista listou uma série de fatores que vão te ajudar a comprar seu carro usado sem dor de cabeça.

Como comprar carros usados

1. Certifique-se que não é um carro roubado/clonado

Ao comprar um usado em concessionária, a própria empresa realizam essa checagem e verificam a procedência do carro antes de vendê-lo ao cliente. Mas se você vai comprar um carro usado de pessoa física precisa ficar atento aos seguintes pontos:

  • No número dos vidros, chassi e placa. Verifique se são os mesmos que contam no documento do carro. 
  • Entre no site do DETRAN e verifique se a placa no carro é verdadeira e se não há pendências – como multas ou falta de pagamento do IPVA. 
  • Analise também se o documento do veículo não é adulterado. Os verdadeiros possuem um alto-relevo em toda a sua volta. 
  • Se ficar na dúvida quanto à procedência, melhor não comprar. Se você for parado numa blitz e descobrir que está com um carro roubado, você pode perder todo o dinheiro investido

2. Confira se o veículo não sofreu colisões graves

Nem sempre um carro com aparência externa impecável indica que o carro está bem conservado. Os acidentes desvalorizam e muito o preço do veículo e costumam deixar indícios que podem alertar o comprador quanto a problemas que o carro pode apresentar no futuro. 

  • Por isso é importante observar o estado dos pneus, a parte traseira – para checar se o suporte do para-choque está bem alinhado, por exemplo, o que é sinal de que o carro não sofreu colisão traseira grave. 
  • Verifique se há simetria entre as portas, os parachoques e o teto. Ondulações, pequenos amassados na lataria ou diferenças nas quinas do capô são outras indicações de colisão. Se mesmo após a inspeção você tiver dúvidas sobre o passado do veículo, o ideal é contratar uma empresa especializada.

3. Observe o interior

Do lado de dentro, observe o estado do banco, se houver afundamentos na espuma isso indica que a quilometragem do veículo é alta. E confira também se  há desgaste maior do lado direito do banco traseiro, que é o lado da calçada, pois isso é indício de que o carro era usado como táxi. 

A PROCURA DO CARRO IDEAL?
Na hora de comprar um seminovo ou usado é preciso ter muito cuidado com a procedência. Comece pesquisando com que você pode confirar. Confira!
  • Cheque os pedais de freio e embreagem, também se o volante e a caixa de  câmbio possuem marcas, e fazer o cruzamento dessas informações com a quilometragem marcada no hodômetro, para ver se batem.
  • Outra dica é olhar debaixo do tapete e das borrachas das portas para conferir se não há lama. Se houver pode indicar que o carro já passou por uma enchente ou era usado em estrada de terra, pontos que danificam muito o carro. 

4. Teste o carro

Esse ponto é muito importante. Normalmente, fazemos um test drive por alguns quilomêtros e pronto. E com alguns quilômetros o carro provavelmente não irá demonstrar os defeitos que carregar, ainda mais com o vendedor sentado ao seu lado enchendo o carro de elogios.  

  • Por isso, a dica do E-konomista é: alugue em uma locadora de veículos um carro do mesmo modelo do que você vai comprar. E ao contrário do que nós normalmente fazemos, peça o mais antigo que ele tiver disponível. Esse automovél irá lhe mostrar os efeitos do tempo e do uso no modelo pretendido. 

5. Saiba quais os carros mais difíceis de revender

Repassar o carro depois de alguns anos também pode ser um problema, então fique atento a pontos como:

  • A cor: as cores preferidas pelos brasileiros são preto e prata. Os carros de cor extravagantes têm seus adeptos mas são mais difíceis de agradar o gosto geral. Os carros brancos e amarelos também podem ser complicados pois podem levantar a suspeita de terem sido usados como táxi.
  • Carros que saíram de linha também são muito desvalorizados pois a manutenção e a substituição de peças se tornam muito complicadas. 
  • Carros com fama de quebrar muito facilmente também são um mal negócio. Essas crenças (infundadas ou não) fazem um comprador desistir do carro facilmente
  • Carros com a pintura muito riscada também costumam desagradar. Mesmo que o carro esteja em ótimas condições, a primeira impressão é a que fica, então uma boa impressão externa também é muito importante.
  • Há também um preconceito contra carros que vieram de leilão. Se for adquirí-lo, exija um desconto. Mas fique ciente que esse mesmo desconto será pedido ao tentar revendê-lo.

Quer comprar um carro usado? 

Confira sites confiáveis para garantir o seu carro usado:

Webmotors 
ICarros   
Primeira mão 
Vrum 

Você procura um seminovo barato e de confiança? Encontre aqui!


Veja também: 

Gostou? Compartilhe!
Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Ana Luiza Fernandes é brasileira, natural de Minas Gerais, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e hoje cursa Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, Portugal. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural, Fotografia, Documentário e Assessoria de Imprensa e é apaixonada pela profissão desde criança.