10 itens nos quais você 'investia' nos anos 90

Um tempo de diversão, emoções e muitas novidades para as crianças e adolescentes: relembre 10 dos maiores itens dos anos 90 que demandaram investimento.

10 itens nos quais você 'investia' nos anos 90
Volte no tempo e relembre alguns dos artigos considerados "luxo" na época

Com uma série de novidades em entretenimento, gastronômicas, vestuário e acessórios, os anos 90 foram marcados por uma alucinante avalanche de músicas, brinquedos, roupas e demais segmentos que hoje deixa uma legião de adultos nostálgicos para ter novamente a oportunidade de viver esses dias.

10 artigos de “ostentação” nos anos 90

Diante do saudosismo e conversas que parecem não ter fim quando o assunto é relembrar as emoções da infância, listamos a seguir 10 artigos que, por popularidade ou diversão, eram a sensação dos anos 90.

1. Lancheiras

Lancheiras

Rambo, TV Colosso, Tartarugas Ninja, Moranguinho e uma série de outros temas eram febre na hora do recreio. As lancheiras de plástico, com garrafinha que bastava girar a tampa para que o canudo saísse eram praticamente um artigo de luxo, onde a popularidade era medida pelo quão atual fosse sua lancheira – e talvez quantos adesivos cromados tivessem nela.

2. Chocolate Turma da Mônica

Chocolate Turma da Mônica

Saboroso, com cards colecionáveis e com um ritual antes de comê-lo por completo, os chocolates Turma da Mônica vinham em bordas de chocolate ao leite e um personagem na Turma em relevo, produzido em chocolate branco. Além dos cartões postais que vinham nas embalagens, outra grande diversão era comer toda a borda escura do chocolate, recortando apenas o personagem com os dentes antes de devora-lo.

3. Tazos

Tazos

Sensação que durou por muitos anos, os tazos da Elma Chips evoluíram à medida em que as crianças dos anos 90 também cresciam. Começando com personagens Looney Tunes, como a turma do Pernalonga e outros desenhos mais alternativos como Pink e Cérebro e Animaniacs, os tazos ganharam também versões holográficas, voadoras, máster, metalizados e de outros personagens, como O Máskara, Tiny Toons, Cartoon Network e Pokémon.

Além dos discos, acessórios como porta-tazos, tape-tazos, pega-tazos, entre outros também foram criados para incrementar e organizar a coleção.

4. Meu Primeiro Gradiente

Meu primeiro Gradiente

“Vou de táxi, ‘cê’ sabe, ‘tava’ morrendo, de saudade...”. Um lado para aprender, e outro para cantar era a proposta do genial Meu Primeiro Gradiente, um colorido gravador e toca-fitas lançado precisamente em 1989. Com ele, crianças e nem tão crianças assim se divertiam cantando ao microfone clássicos do Dominó, Angélica, Inimigos do Rei e Simony.

Atualmente, o produto ganhou uma nova versão hi-tech, com efeitos de voz, reprodução mp3, rádio, entrada para dois microfones e um preço bastante elevado; cerca de R$ 499.

5. Promoções Coca-Cola

Promoções Coca-Cola

Ao final de uma promoção, era mais que comum ter garrafas pet recheadas de lacres ou sacolas com tampas apenas esperando pela próxima oportunidade. Durante os anos 90, a Coca-Cola foi uma das grandes pioneiras em colecionáveis da marca, todos com sucesso estrondoso entre crianças e jovens; como foi o caso dos minicraques da Seleção Brasileira de 1994, as bolinhas de espuma das Olimpíadas de Atlanta (1996), os Geloucos, ioiôs e os ursos de pelúcia esportistas.

6. Maleta Escolar

Maleta Escolar

Estojos de canetinha, papéis de carta, borrachas em tamanhos e formatos diversos e os famigerados lápis de cor Faber Castell; junto das canetas cheirosas e lapiseiras com apontador, estes e outros itens faziam a cabeça de crianças e adolescentes da década de 90, desesperando pais que levavam os pequenos para as compras do material escolar.

No entanto, nada superava o símbolo supremo da ostentação da idolatrada maleta escolar, a qual possuía uma série de canetinhas, réguas, tesouras, paleta de guache, cola, lápis, borracha e giz de cera.

7. Ursos da Parmalat

Ursos da Parmalat

O elefante é fã de Parmalat e mais uma legião de crianças e jovens loucos pelos mascotes da marca. A promoção dos mamíferos, lançada em meados de 1996, consistia na troca de determinado número de códigos de barras recortados das embalagens do leite por bichinhos de pelúcia segurando uma caixinha de Parmalat. A promoção teve início com 12 animais, mas terminou com cerca de 21, dos quais podiam ser escolhidos vacas, focas, porcos, pandas, cães, gatos, macacos, leões, rinocerontes, entre outros.

Recentemente, a marca retornou com a propaganda comemorativa de 10 anos apresentando os mamíferos crescidos e prometendo ainda um relançamento da promoção de pelúcias.

8. Bolsa da Kipling

Bolsa da Kipling

Símbolo bastante presente entre as garotas que estavam entrando na adolescência, as bolsas da Kipling eram um acessório caro e bastante procurado na época; principalmente quando o assunto era comparar o nome dos macaquinhos que vinham junto com as bolsas, mochilas ou...pochetes.

A marca ainda é bastante presente no quesito status e qualidade, ainda mantendo os preços bastante elevados de seus produtos.

9. Bichinho Virtual

Bichinho Virtual

Pesadelo de muitas professoras nos anos 90, o bichinho virtual – ou Tamagochi – foi companheiro inseparável de diversas crianças na época, onde o preço acessível e o tempo de distração que o brinquedo proporcionava fazia deste um bom investimento para o sossego dos pais.

No formato de chaveiro, o bichinho vinha nos formatos de bolinha ou dinossauro, devendo a criança então cuidar do mesmo (alimentando, dando banho e brincando) para que este pudesse crescer forte e feliz. Atualmente ainda é possível encontra-lo em lojas de R$ 1,99 e camelôs por cerca de R$ 5.

10. Furby

Furby

Lançado no ano de 1998 nos Estados Unidos, o Furby chegou ao Brasil apenas para as crianças com um maior poder aquisitivo na época, onde custava aproximados R$ 90 – em tempos onde um salário mínimo era de, acredite, R$ 130.

O brinquedo, de tecnologia bastante avançada, consistia em um pequeno robô com aparência semelhante à um hamster ou coruja e que podia ser “domesticado” com o tempo, aprendendo algumas palavras da língua portuguesa e interagindo com as crianças e outros bonecos Furby.

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Heloísa von Ah Heloísa von Ah

Formada em Comunicação em Computação Gráfica e Design de Games, é apaixonada pela profissão que exerce. Uma aficionada por tecnologia, gatos e cinema underground.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar