Veja se você é um dos 937 mil com declaração de Imposto de Renda retida

Veja se você é um dos 937 mil com declaração de Imposto de Renda retida
Se comprovada a irregularidade, contribuinte tem de pagar multa

Omissão de rendimentos é motivo mais frequente de retenção

Na última semana foi liberada a consulta ao sétimo e último lote de restituições do Imposto de Renda de Pessoa Física de 2014. Segundo informado pela Secretaria da Receita Federal, são 937 mil os contribuintes com declarações retidas. 

Consulte seu nome aqui.  

Quem não tiver o nome nesta ou nas outras seis listas certamente caiu na chamada malha fina, que se trata de uma revisão das declarações de Imposto de Renda, na qual são verificados os dados declarados pelo contribuinte e estes são cruzados com informações dos sistemas da Secretaria da Receita Federal. 

Por isso, quando se diz que alguém caiu na malha fina quer dizer que o contribuinte declarou informações que chamaram a atenção do Fisco devido alguma aparente irregularidade, o que pode fazer com que a declaração fique retida. 

O tipo de irregularidade mais frequente é deixar de declarar rendimentos de dependentes, com 52% de ocorrência. Para quem é pego escondendo valores ou inventando valores para serem abatidos nos impostos a multa pode chegar a 150% do valor sonegado e se for um caso reincidente o ato é enquadrado como crime, com pena de um a cinco anos de prisão.

O que fazer se tiver caído na malha fina

Para acompanhar o andamento da declaração pela internet e conferir se o documento caiu na malha, basta acessar o Centro Virtual de Atendimento da Receita Federal (e-CAC) e informar o CPF, código de acesso e senha.

Alguns dos dados checados nessa revisão são os números fornecidos por empresas, INSS, convênios médicos, bancos, administradoras de cartão de crédito, entre outros. Qualquer um deles que tenha sido informado de forma errônea poderá colocar o contribuinte na malha fina. 

1) Se houver erro:

É necessário providenciar a retificação do documento, enviando um novo com os dados corrigidos

2) Se o erro apontado não se confirmar:

É necessário apenas esperar o Termo de Intimação ou a Notificação de Lançamento da Receita Federal, ou mesmo agendar o atendimento para a entrega da documentação que comprova o acerto das informações declaradas.

Para as declarações do IR 2014, só é possível agendar atendimento a partir de janeiro de 2015. Para evitar problemas, o ideal é não deixar a papelada para a última hora e já preparar começar a preparar o IR de 2015 o quanto antes.

Veja mais: