Quer comprar um carro sem entrada?

Receba cotações de crédito para comprar o seu carro

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Seguinte

Quando posso resgatar o fundo de reserva do consórcio?

Quando fazemos um consórcio, é normal investir na segurança de ter um fundo de reserva. Saiba como resgatar o fundo de reserva do consórcio.

Veja como e quando você pode resgatar o fundo de reserva do consórcio

Ao entrar em um consórcio, os contribuintes assegurados pagam mensalmente uma porcentagem a mais para o fundo de reserva. Mas e se o consórcio for cancelado ou se o cliente desistir do negócio, é possível resgatar o fundo de reserva do consórcio? Confira no artigo!

Quando eu posso resgatar o fundo de reserva do consórcio?

O fundo de reserva de um consórcio é aquele valor pago às organizadoras (que normalmente vai de 0,1% até 5% do valor do bem consorciado) que tem como objetivo garantir o funcionamento do grupo mesmo quando há, por exemplo, um elevado número de consorciados inadimplentes.  Os consorciados podem reaver o valor pago para o fundo de reserva quando:

teste
o CARRO
QUE VOCÊ
QUER
COMPRAR
agente um
test drive grátis
  • O consórcio acabar

Essa fundo é feito como uma reserva e deve ser restituído ao cliente quando o grupo finalizar. Neste momento, o saldo desse fundo será apurado e devolvido proporcionalmente a todos os consorciados ativos. Se por algum motivo  a administradora não emitir um aviso sobre a retirada deste fundo, faça valer seu direito, exigindo seu investimento de volta através do Banco Central. Ao fim do consórcio a administradora do consórcio tem até 60 dias para manisfestar-se com os consorciados sobre a restituição do fundo de reserva

  • Se o cliente desistir do consórcio

Se o consorciado desistir do consórcio, ele tem o direito a receber os valores pagos nas parcelas mensais do consórcio mais o valor referente ao fundo de reserva na proporção do que foi contribuído. No entanto, essa  restituição não é de imediato. Quem desiste do grupo tem até 30 dias a contar do prazo contratual para o encerramento do plano. Saiba como funciona o reembolso do consórcio em caso de desistência.

  • Se o consórcio for cancelado

Se por ventura o consórcio for cancelado por qualquer que seja o motivo, todos os consorciados devem receber de volta o valor pago nas parcelas acrescido do valor pago para o fundo de reserva acrescido de correção monetária.

Atenção!

Só é possível resgatar o fundo de reserva do consórcio, se esse valor não tiver sido utilizado pela administradora do consórcio nos casos fixados no contrato. Cada administradora coloca situações de emergência em que o valor poderá ser utilizado, por isso é importante ler o contrato com muita cautela. Na maior parte das vezes, o fundo de reserva é destino a:

  • Pagamento de seguro de quebra de garantia;
  • Cobertura de eventuais insuficiências de receita no Fundo de Aquisição;
  • Cobertura de diferenças de parcelas;
  • Outras situações constantes no regulamento.

O mais comum, é ser utilizado para suprir inadimplência de consorciados que afete o pagamento da contemplação do consórcio. Se por acaso a organizadora precisou utilizar esse fundo para cobrir um dos gastos combinados no processo, tudo precisa ser devidamente comprovado.  Ao fim do consórcio (ou em caso de desistência do consorciado ou do cancelamento do consórcio), a administradora precisa informar aos consorciados o quanto ainda existe do valor pago à esse fundo, e dividir entre os clientes proporcionalmente ao quanto cada um pagou.

Se a administradora se recusar a fazer a demonstração do quanto foi gasto ou mesmo não notificar os consorciados ao fim do grupo que eles devem resgatar o fundo de reserva do consórcio, os clientes podem procurar o Procon ou o Banco Central.

O fundo de reserva não é obrigatório

É importante lembrar que, apesar do fundo de reserva dar mais segurança ao consórcio, ele não é obrigatório.  Você só é obrigado a pagar as parcelas do fundo de reserva se tiver assinado o contrato que autoriza esse tipo de cobrança. Caso contrário, essa cobrança poderá estar sendo feita ilegalmente e é perigosa para o consorciado, que pode não conseguir resgatar o fundo de reserva do consórcio por ele não estar descrito no contrato.
 

Encontre a melhor solução para comprar o seu carro com as menores parcelas.


Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Ana Luiza Fernandes Ana Luiza Fernandes

Ana Luiza Fernandes é brasileira, natural de Minas Gerais, formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo e hoje cursa Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, Portugal. Possui trabalhos na área de Jornalismo Cultural, Fotografia, Documentário e Assessoria de Imprensa e é apaixonada pela profissão desde criança.