Penta campeão da Copa, Brasil é o 5ª país no ranking mundial de fraudes de cartão de crédito

Ano de Copa do Mundo e as quadrilhas de fraudadores podem marcar recordes de clonagem de cartão de crédito.  

Penta campeão da Copa, Brasil é o 5ª país no ranking mundial de fraudes de cartão de crédito
Copa do Mundo no Brasil: um olho na bola e o outro no cartão de crédito

Os amantes do futebol se preparam para a Copa do Mundo no Brasil. Com a proximidade do mundial, a expectativa começa a crescer, mas as advertências sobre a criminalidade no país também começam a ganhar maior repercussão internacional. 

Um dos motivos de preocupação durante a Copa, será a realização de operações financeiras com cartões eletrônicos, tanto de crédito quanto de débito. O índide de fraudes de cartões no Brasil é alarmante, e com a realização da Copa do Mundo no país e a presença massiva de turistas estrangeiros, este índice pode aumentar ainda mais. 

O governo brasileiro tem a expectativa de gerar mais de 142 bilhões adicionais na receita do país com o mundial de futebol, e parte deste volume de operações financeiras, principalmente de estrangeiros, deve ser realizada com dinheiro de plástico. A ABECS - Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços, prevê que a Copa irá gerar cerca de 5,9 bi extras para cartões. Mas será que os sistemas de segurança estão preparados para os sofisticados golpes dos times de fraudadores, ou o Brasil vai subir no ranking de fraudes de cartões?

De acordo com um levantamento realizado pela Aite Group, empresa norte americana de pesquisas sobre o mercado internacional e serviços financeiros, o Brasil é hoje o 5º país no ranking de fraudes e golpes envolvendo cartões de crédito, e o 7º em fraudes incluindo cartões de débito e crédito.

A cada 15 segundos, há uma tentativa de fraude de cartão de crédito no Brasil. Só em 2012, foram contabilizados cerca de R$ 1,4 bi em perdas com fraudes de cartão de crédito. E este é um problema que se agrava a cada ano. Em 2013, o número de fraudes financeiras envolvendo cartões cresceu 5,9%. 

Nos últimos 5 anos, 33% dos brasileiros que possuem cartão de crédito tiveram algum tipo de experiência com fraude de cartões, e a principal delas é a clonagem.

Um olho na bola e o outro no cartão de crédito!

A Embratur - Instituto Brasileiro de Turismo, estima receber cerca de 7 milhões turistas estrangeiros em 2014. As redes de cartões de crédito, como Visa, patrocinadora oficial da Copa, e Mastercard, já estão se adaptando tecnlogicamente para estarem presentes nos principais pontos de acontecimentos da Copa, e facilitar as transações com cartões. Serão milhares de pontos adicionais de pagamento eletrônico, inclusive em taxis. Entretanto, parece não haver grande preocupação, por parte das instituições financeiras, em aprimorar os sistemas de segurança.

Entre as recomendações gerais de segurança para os turistas estrangeiros que vêm ao Brasil, uma das mais frequentes em sites internacionais diz respeito ao uso de cartões de crédito: "credit-card fraud is extremely common in Brazil. Keep your card in sight at all times, especially in restaurants" (a fraude de cartão de crédito no Brasil é extremamente comum. Mantenha o seu cartão à vista o tempo todo, especialmente em restaurantes), adverte o site americano de viagens, Lonely Planet. 

Muitos dos turistas estrangeiros que vêm ver os jogos da Copa do Mundo sabem da má fama brasileira com a clonagem de cartões. E os que não sabem, serão alvo fácil dos times de craques em golpes de clonagem de cartões. Por isso, além do carimbo no passaporte, os estrangeiros correm o sério risco de levar para casa, como recordação da Copa do Mundo no Brasil, um Boletim de Ocorrência devido a uma fraude sofrida com o cartão.

Mas para o bem e para o mal, mais uma vez, as redes sociais fazem o seu papel. Há uma série de blogs e sites com relatos de turistas estrangeiros que tiveram o cartão clonado durante viagens ao Brasil. É o caso de Michael Sommers, que conta a sua experiência e a de um amigo, em viagem ao Rio de Janeiro durante o verão, no artigo  “Verão de fraude: cuidado com a clonagem de cartão”, do site Moon Travel Guides:

Coincidentemente, uma semana depois do meu episódio de clonagem, no final de dezembro, recebi um email de um amigo alemão, Dirk. Viajando pelo Brasil durante dois meses, ele foi passar as festas de fim de ano no Rio de Janeiro, onde também foi vítima de um incidente de clonagem de cartão de crédito num caixa eletrônico"

Num blog pessoal, com um post intitulado "Clonagem de cartão de crédito: uma fonte de dor de cabeça”, o blogueiro diz: 

A primeira vez que ouvi falar de fraude de cartão de crédito no Brasil foi pouco depois de chegar ao país, há mais dez anos. Um amigo escocês em visita ao Rio de Janeiro foi a vítima. Desde então, a lista de amigos e conhecidos que foram vítimas deste tipo de crime no Brasil tem se tornado extensa"

Também se encontra facilmente em sites estrangeiros sobre viagens, várias dicas para usar o cartão de crédito com segurança no Brasil. Um deles aconselha que nunca se tire os olhos do cartão, e que nunca se deve entregar o cartão nas mãos dos garçons, ensinando a dizer, em português: "por favor, traga a máquina de cartão de crédito!".

Fraudes envolvendo cartões de crédito e débito

As fraudes envolvendo cartões de crédito e débitos são relativamente comuns em todo o mundo, mas mais frequentes em alguns países, como nos Estados Unidos, México, Índia e Brasil, onde o uso dos cartões de crédito está mais fortemente presente na realização de transações financeiras.

Segundo um artigo da Revista Forbes, uma pesquisa recente mostrou que 27% dos utilizadores de cartões, seja de crédito ou débito, do mundo já sofreram alguma experiência relacionada à fraude nos últimos cinco anos. 

Mas mesmo o Brasil tendo adotado as medidas de segurança standard EMV (Europay, Mastecard e Visa), com o uso de um microchip nos cartões de crédito e débito, o número de fraudes, sobretudo de clonagens, continua aumentando. Os motivos, no caso do Brasil, podem ser os mesmos atribuídos ao México pela Forbes: o alto índice de criminalidade, a grande quantidade de quadrilhas de clonagem especializadas, e o tráfico de drogas.

Ranking dos países com maior índice de fraudes de cartão de crédito e débito

O levantamento realizado pelo Aite Group, mostra o percentual da população que já sofreu algum tipo de experiência de fraude com cartão de crédito ou débito. 

Fraudes de Cartão de crédito

Fraudes de Cartão de crédito e débito

*Fonte: Aite Group

Dinheiro de plástico versus dinheiro de papel

Os maiores bancos brasileiros estão travando uma verdadeira batalha contra o dinheiro de papel, e tentando expandir e popularizar cada vez mais o dinheiro de plástico. Segundo ABECS, estão previstas para 2014 mudanças significativas nos sistemas de pagamento eletrônico. No entanto, boa parte delas tem como finalidade aumentar a dimensão do negócio, facilitando e melhorando a experiência do utilizador com novas soluções tecnlógicas que ofereçam mais comodidade, e sirvam de estímulo para que os consumidores optem cada vez mais por pagamento com cartão de débito ou crédito

Mas se por um lado, os bancos e as redes de cartão de crédito têm interesse em expandir os meios de pagamento eletrônico, por outro lado, o número de fraudes envolvendo cartões eletrônicos não para de crescer. A questão que se coloca é: será que as instituições financeiras também estão, efetivamente, tomando providências e desenvolvendo sistemas de segurança para proteger os consumidores que usam cartões de possíveis fraudes? E para a Copa do Mundo, que irá movimentar bilhões com operações financeiras com pagamento eletrônico, algum reforço na segurança está sendo preparado? 

O que a parece, é que aumentar a segurança nas operações financeiras com cartões eletrônicos está longe de ser o foco principal do negócio. O grande objetivo é travar uma batalha contra o dinheiro de papel, e não contra as fraudes. A clonagem de cartões de crédito e débito é um problema sério no sistema de pagamento eletrônico e operações financeiras com cartão no Brasil, e exige investimentos. 

Timidamente, algumas novas tecnologias de segurança são anuciandas. Recentemente, a ABECS informou sobre uma mudança no sistema de segurança dos cartões eletrônicos, mas ainda sem data prevista para implementação. A proposta é que os cartões com chip sejam substituídos por modelos sem contato, com identificação por radiofrequência, permitindo o pagamento à distância, ou com tecnologia de comunicação de campo próximo. Ambos garantirão a troca de dados sem ser preciso inserir o cartão numa máquina, o que deve oferecer mais segurança aos consumidores.

Só nos resta torcer para que, além de ser hexacampeão da Copa do Mundo, o Brasil não suba no ranking de países com mais fraudes em cartões. E que a criatividade das quadrilhas de fraudadores não roube a cena dos nossos craques do futebol. 

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar