Como negociar a dívida do cartão do crédito

Saiba como negociar a dívida do cartão de crédito. Tenha atenção aos juros propostos pela administradora antes de aceitar o acordo. Organize seu orçamento e faça as contas.

Como negociar a dívida do cartão do crédito
Para negociar a dívida do cartão de crédito primeiro é preciso se organizar.

Negociar a dívida do cartão de crédito por vezes é a única forma de conseguir por as contas em dia. Os juros do crédito rotativo fazem a dívida crescer muito e em pouco tempo, e basta uma parcela se atrasar para as contas começarem a sair do controle. 
Antes de pensar em negociar com o banco, ou administradora do cartão de crédito, é preciso ter consciência de que o orçamento familiar terá de ser alterado. Os gastos vão ter que diminuir para que seja possível arcar com o parcelamento da dívida.

CONTROLE AS SUAS FINANÇAS
Com o cartão de crédito certo, você pode fazer compras programas e colocar as finanças em dia. Encontre o melhor cartão de crédito para você.

Negociar a dívida do cartão de crédito

Coloque tudo no papel: reúna as faturas em atraso, faça as contas e descubra qual é o valor da dívida. Leve em consideração os gastos fixos e todas as despesas mensais. Faça uma tabela detalhada com os valores da água, luz, gás, aluguel, alimentação, transporte e etc. Cuidado para não fazer planos de pagamento de possam comprometer suas despesas fixas. Caso contrário correrá o risco de fazer novas dívidas.    

Saiba como cancelar cartão de crédito com dívida.

Contate o credor

  • Pode ser pessoalmente, por telefone ou através das redes sociais. A última se tem mostrado um ótimo canal de comunicação entre cliente e instituição.
  • Peça para negociar a dívida do cartão de crédito. As operadoras vão estar sempre disponíveis para fazer uma proposta, já que é do interesse deles que a regularização seja feita.
  • Pergunte qual é o Custo Efetivo Total (CET) da dívida. Esse valor inclui todos os engargos cobrados. 
  • Opte por uma parcela fixa, assim terá maior controle sobre suas finanças e poderá se organizar melhor. 
  • Aceite a proposta apenas se vir que é capaz de cumprir o acordo. Se o valor das parcelas exceder o orçamento destinado para o pagamento , o melhor é não aceitar e não correr o risco de se endividar ainda mais. O ideal é expor a situação ao credor, e tentar chegar a um acordo que atenda ambos os lados.
   

Cancelar o cartão de crédito evita que a dívida aumente 

Mesmo com dívida é possível cancelar o cartão e essa é a solução ideal para travar o contínuo aumento do montante. Os juros de contrato, que podem chegar aos 10%, deixam de incidir sobre o valor. Apenas os juros de mora (1% ao mês) e a correção monetária calculada pelo IPGM continuam a ser cobradas. 

Tire as suas dúvidas: dívida de cartão de crédito caduca?

Pedir um empréstimo para negociar a dívida do cartão de crédito

Tenha atenção às taxas de juros, e se forem inferiores às taxas de negociação propostas pela administradora do cartão, fazer um empréstimo é uma boa ideia. Se fizer o empréstimo aproveite a ocasião para pedir um desconto à administradora do cartão de crédito, pelo pagamento total da dívida à vista.     

 

Dicas para negociar a dívida do cartão de crédito

Peça ajuda a especialistas

Se não conseguir negociar a dívida do cartão de crédito, procure a ajuda de associações especializados no assunto como o Procon ou o Instituto Nacional de Defesa dos Consumidores do Sistema Financeiro (Andif). Eles poderão ajudar a fazer os cálculos e dar orientações sobre a negociação.    

 

Se for preciso entre na justiça

Se considerar que os juros cobrados pela administradora do cartão são abusivos, tem a opção resolver a situação judicialmente. Por se tratar de um processo longo, as administradoras normalmente preferem propor um acordo amigável do que esperar anos para receber o pagamento da dívida.    

 

Evite fazer novas dívidas até que as atuais tenham sido pagas

Para não cair novamente no descontrole, o melhor é evitar fazer novas dívidas no período em que estiver pagando a negociação do cartão. Os economistas aconselham a não ter mais do que 30% do orçamento comprometido com o pagamento de parcelas.

 

 
Cadastre-se grátis e concorra a vários prêmios!
 

 

Veja também:

Gostou? Compartilhe!
Poliana Oliveira Poliana Oliveira

Nasceu em Brasília, cresceu em Goiânia e vive há oito anos em Portugal. Formada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social, em Lisboa. Trabalha na área de Marketing Digital. Adora cães, cinema, dança e viagens.

Receba mais informações como esta!

Receba a nossa newsletter

Ao submeter os seus dados receberá a newsletter, ofertas e publicidade enviado por e-konomista.com.br e pelos nossos Parceiros e aceita os Termos e Condições e a Política de Privacidade. Os dados submetidos serão compartilhados com os nossos Parceiros.

Enviar